fb

Inteligência artificial e gestão

3 min de leitura

Em meio à explosão da IA, prefira humanizar a comunicação

Bilhetes e notas escritas à mão ajudam a construir conexões e reforçar as relações em um período no qual a comunicação digital está por toda parte

Cole Clark

10 de Agosto

Compartilhar:
Artigo Em meio à explosão da IA, prefira humanizar a comunicação

A inteligência artificial (IA) atingiu um ponto em que recursos inteligentes como o ChatGPT estão disponíveis para o público em geral. Tais tecnologias estão se tornando cada vez mais dominantes no mundo dos negócios, à medida que se infiltram na consciência coletiva. Como disse a Vox, a IA generativa de repente está em toda parte e em posição de mudar profundamente a vida cotidiana dentro das organizações e de muitas maneiras, especialmente em relação à comunicação.

Mais do que nunca, quando recebemos textos, e-mails, ou outras mensagens por meio digital, há motivos para duvidar se foram escritas por uma pessoa de verdade. O ChatGPT vem sendo usado até para escrever mensagens customizadas para executivos no LinkedIn. Como resultado, estão sendo criadas ferramentas capazes de determinar se um texto foi ou não escrito por máquina. Algumas dessas ferramentas são de autoria das mesmas empresas que geram esses textos. No entanto, é provável que poucos façam uso delas no curto prazo e, ainda que isso aconteça, haverá uma dança contínua entre detectores de autoria por IA e novos geradores capazes de enganá-los.

O resultado final está na cara: quando falamos de comunicação digital, é improvável que acreditemos em “mensagens pessoais digitais” por algum tempo. Esta é a razão pela qual, se quisermos construir relacionamentos autênticos, deixar a tecnologia de lado para valer produz um efeito que parecia esquecido.

Escrever à mão faz diferença

Hoje em dia, poucas pessoas aceitam chamadas telefônicas quando o número é desconhecido. E os executivos percebem cada vez mais que a IA é usada para realizar essas chamadas, o que os faz sentir-se como apenas mais um de uma longa lista.

Recentemente, em um movimento para me conectar com os tomadores de decisão, escolhi tentar um caminho diferente: escrevi algumas notas à mão e mandei pelo correio. Algumas delas produziram respostas muito positivas, reuniões e até mesmo conversas sobre contratos. Esses relacionamentos estão se apoiando em bases significativas, que podem levar a negócios crescentes no longo prazo. Sempre existiram aqueles que preferem escrever à mão, mas nunca isso teve uma conotação tão relevante: que uma pessoa de verdade dedicou seu tempo para enviar uma mensagem personalizada, em vez de ir pelo caminho mais fácil. E um estudo recente mostrou o poder dessa escolha: pesquisadores das escolas de gestão na University of Maryland, nos Estados Unidos, e na Yonsei University, na Coreia do Sul, descobriram que “apresentar um bilhete escrito à mão tem um efeito significativamente positivo nos gastos de um consumidor” e que isto é percebido como caloroso.

Humanize a comunicação

O mesmo princípio se aplica à comunicação interna das organizações. Hoje alguns gestores usam a tecnologia para, por exemplo, o reconhecimento de um funcionário e usam a IA para gerar e enviar cumprimentos aos seus subordinados. Embora possa ser uma ajuda bem-vinda para gestores exaustos e sobrecarregados, também diminui o valor e a individualização que os funcionários desejam. É por isso que mensagens manuscritas podem ser um modo poderoso de mostrar às pessoas o quanto elas são valorizadas, particularmente as que trabalham remotamente e que não têm a oportunidade de receber esse reconhecimento ao vivo.

Escrever bilhetes à mão pode não servir para todo mundo, como para alguém com uma caligrafia de difícil leitura, por exemplo. Mas há outras maneiras de personalizar a comunicação, inclusive vídeos ou mensagens de voz criadas para uma pessoa específica, ou deixar um recado gravado se o telefonema não for atendido. Alguns podem reservar um tempo de sua agenda dizendo: “Vou guardar essas duas horas para o caso de você querer conversar. Ligue ou apareça a qualquer momento desse horário e eu interrompo o que estiver fazendo.”

O essencial é buscar sempre maneiras de enfatizar a relação humana em nossas comunicações. Quanto mais o fizermos, menos a IA irá se intrometer em nossas relações, e mais autênticas e recompensadoras elas serão.

Compartilhar:

Autoria

Cole Clark

Cole Clark é presidente da AmygdaLaunch.

Artigos relacionados

Imagem de capa IA generativa nas organizações: um novo paradigma na interação humanos-máquinas

Inteligência Artificial

08 Fevereiro | 2024

IA generativa nas organizações: um novo paradigma na interação humanos-máquinas

Na medida em que a IA generativa entra no cotidiano das empresas, torna-se essencial a criação de políticas e diretrizes de uso responsável da tecnologia

Luis Quiles

4 min de leitura

Imagem de capa Faça um marketing assertivo usando IA generativa

Inteligência artificial e gestão

06 Novembro | 2023

Faça um marketing assertivo usando IA generativa

Com a inteligência artificial generativa, é preciso saber fazer a pergunta certa, mais do que ter a resposta. Pois, apesar de ser, de fato, um grande acelerador, a IA generativa pode ser um detrator

Fabiano Cruz e Rande Rodrigues

7 min de leitura

Imagem de capa Transformação digital e IA: desafios para a liderança moderna

Inteligência artificial e gestão

24 Outubro | 2023

Transformação digital e IA: desafios para a liderança moderna

Descubra como a segunda onda da transformação digital, guiada pela evolução da Inteligência Artificial, está mudando as abordagens de liderança no mundo dos negócios e influenciando estratégias e tomada de decisões.

Wilian Luis Domingues

2 min de leitura

Imagem de capa Mastercard: como lidar com IA generativa e governança

Inteligência artificial e gestão

12 Setembro | 2023

Mastercard: como lidar com IA generativa e governança

Entrevista com a CDO da Mastercard, JoAnn Stonier, permite ver a IA em ação no mundo corporativo

Thomas Davenport e Randy Bean

7 min de leitura

Imagem de capa ChatGPT (ainda) não consegue entender o significado das palavras

Inteligência artificial e gestão

24 Agosto | 2023

ChatGPT (ainda) não consegue entender o significado das palavras

Apesar da IA ser capaz de dar respostas complexas e coerentes através do processo computacional “embedding”, a ferramenta não é capaz de entender as palavras que usa para responder as perguntas, só os humanos

Pablo Sáez

3 min de leitura