fb

Tecnologia e inovação

4 min de leitura

Intranet 3.0: a conexão e o engajamento das equipes no pós-pandemia

Intranet evolui para workspace digital, ambiente de trabalho adaptado aos formatos híbrido e remoto

Colunista Ronaldo Nóbrega

Ronaldo Nóbrega

13 de Setembro

Compartilhar:
Artigo Intranet 3.0: a conexão e o engajamento das equipes no pós-pandemia

Transformações aceleradas têm alterado profundamente o mundo do trabalho desde a eclosão da pandemia. A principal mudança é a consolidação dos formatos remoto e híbrido, que tendem a ganhar ainda mais espaço no Brasil. Diante desse cenário, construir um ambiente de trabalho digital para manter bons níveis de produtividade, colaboração e inovação entre colaboradores é vital para o sucesso das organizações. A chave dessa iniciativa pode estar em uma nova era das ferramentas de intranet: o conceito de workspace digital.

Com trabalhadores longe dos escritórios, a intranet ganhou protagonismo. Esse tipo de rede sempre facilitou a comunicação corporativa, mas agora está sendo repensada para assumir um papel central: ser o novo local de trabalho das organizações.

A transição para um workspace digital já estava no horizonte. O ponto é que as atuais circunstâncias exigem passos mais ousados no desenvolvimento de um recurso inovador e completo, que agregue espaços de atuação, canais de interação, ferramentas, aplicativos, banco de dados e outros instrumentos.

Porém, não é apenas uma questão de equipar a intranet com novas funcionalidades, permitindo que o trabalho seja realizado a distância — de qualquer lugar e a qualquer hora. Esse espaço precisa otimizar os processos, fortalecer o engajamento e permitir que a cultura da empresa seja transmitida. Criar algo assim é desafiador, sem dúvida, mas os líderes precisam encarar a iniciativa como uma oportunidade de redesenhar atividades, abraçar inovações e preparar caminhos flexíveis para encarar um futuro de mudanças contínuas.

Bom para os negócios

Gary Bolles, professor de futuro do trabalho da Singularity University e autor do livro The Next Rules of Work, acredita que o sucesso dos negócios diante de um futuro tão incerto é apostar em flexibilidade e capacidade de adaptação a diferentes cenários. A intranet dos novos tempos deve refletir essa mentalidade, planejada e equipada para facilitar a jornada dos colaboradores em busca de soluções para os novos desafios das organizações. Um workspace digital maduro permite reações rápidas e qualificadas, um diferencial importante no mercado.

Se quase 20% do tempo de trabalho é desperdiçado em busca de informações para a realização das tarefas, contar com uma rede agregadora pode trazer grande economia de tempo e dinheiro. Uma intranet bem planejada pode impulsionar a produtividade, agilizar a comunicação de equipes e otimizar as operações. Além disso, oferecer boas condições de trabalho é cada vez mais importante para reter talentos.

Uma solução completa de intranet contempla um conjunto de sistemas para atender as necessidades da organização. Aparelhar essa rede com os mais úteis e modernos recursos tecnológicos é a ideia geral. Entretanto, se os funcionários não entenderem o propósito e os benefícios da intranet, eles não vão tirar o melhor proveito da ferramenta, por mais qualificada que ela seja.

Para desenvolver um workspace digital avançado, é preciso focar na experiência dos colaboradores. A intranet precisa oferecer uma jornada intuitiva para apoiar pessoas que estão trabalhando na resolução de problemas complexos. Acesso fácil, estrutura descomplicada, recursos atualizados e ambientes de interação são apenas alguns dos pontos a serem considerados. A proposta centrada no colaborador é o que distingue a intranet moderna de uma intranet tradicional e desatualizada.

Como construir o workspace digital

Aperfeiçoar a intranet da empresa requer liderança proativa e visão clara do projeto. A iniciativa tem mais chance de prosperar se contar com uma equipe multifuncional. O primeiro passo é mapear as necessidades, envolvendo diferentes áreas da empresa — TI, vendas, marketing, financeiro, jurídico, RH. Os insights resultantes dessas consultas permitem estabelecer estratégias e cronogramas de execução.

Não é possível focar na experiência dos colaboradores sem entender suas demandas. Sendo assim, o segundo passo é investigar os processos das diferentes equipes para oferecer uma boa rede. Como as pessoas trabalham? Como organizam suas tarefas? Quais dificuldades enfrentam? Uma maneira eficaz de encontrar as respostas é com pesquisa de usuários. Feedback do colaborador é uma fonte rica de informação para planejar o workspace digital.

Levando em conta as orientações oferecidas por trabalhadores de diferentes áreas, é possível instalar na rede as ferramentas tecnológicas certas para as necessidades da organização, tornando a intranet um hub único de soluções flexíveis. Nessa etapa, é fundamental manter firme a estratégia construída ao longo do processo. A tecnologia deve se alinhar à visão da empresa, não o contrário.

Por fim, é preciso monitorar constantemente o uso da intranet para saber que tipos de ajustes e melhorias são necessários. Mais uma vez, a principal fonte para fazer os aperfeiçoamentos são os colaboradores que usam a rede. É um esforço contínuo, pois necessidades e dinâmicas mudam constantemente, exigindo atualização. As pessoas também podem precisar de alguns treinamentos para desfrutar de todo potencial do workspace digital.

Compartilhar:

Autoria

Colunista Ronaldo Nóbrega

Ronaldo Nóbrega

Ronaldo Nóbrega é diretor de Global Services na Liferay América Latina. Formado em Ciência da Computação, tem mais de 20 anos de experiência profissional, dos quais 15 anos gerenciando equipes de desenvolvimento de software e consultoria. Atualmente lidera o time da Liferay no desenvolvimento de experiências digitais de ponta na América Latina.

Artigos relacionados

Imagem de capa Open source contra os hackers da IA generativaAssinante

Tecnologia e inovação

19 Dezembro | 2023

Open source contra os hackers da IA generativa

A contratação de serviços de inteligência artificial pode expor seus dados e deixar sua empresa nas mãos das big techs. Mas existem alternativas. Estamos vivendo o início de uma fase semelhante à que deu origem ao Linux nos anos 1990, quando desenvolvedores do mundo todo se dedicaram a enfrentar os desafios da nova tecnologia com soluções de código aberto, disponíveis para todos – e veja cinco modos de administrar os respectivos

Aron Culotta e Nicholas Mattei
Imagem de capa Aceite as limitações dos LLMsAssinante

Tecnologia e inovação

19 Dezembro | 2023

Aceite as limitações dos LLMs

Superestimar a capacidade dos grandes modelos de linguagem, como o ChatGPT, pode levar a resultados pouco confiáveis. Para lidar melhor com eles, é importante entender primeiro como funcionam

Mikhail Burtsev, Martin Reeves e Adam Job
Imagem de capa Como aplicar IA generativa na inovação corporativaAssinante

Tecnologia e inovação

17 Dezembro | 2023

Como aplicar IA generativa na inovação corporativa

A nova tecnologia pode trazer eficiência e criatividade para a inovação em grandes empresas. Uma pesquisa recente mostra a realidade brasileira, os estágios de adoção em diversos setores, as oportunidades no horizonte e as barreiras de adoção

Maximiliano Carlomagno e Felipe Scherer