fb

xtended

8 min de leitura

Sustentabilidade estacionou na maioria das empresas

Entre os funcionários de empresas nos Estados Unidos que participaram de nossa pesquisa, menos de um terço declarou que suas organizações têm práticas que incorporam metas de sustentabilidade em modelo de negócio e atividades da força de trabalho

CB Bhattacharya e Rob Jekielek

01 de Agosto

Compartilhar:
Artigo Sustentabilidade estacionou na maioria das empresas

Enquanto muitas empresas falam em sustentabilidade, dizendo incluir questões ambientais e sociais em seu modelo de negócio, muito poucas realmente praticam o conceito: os gestores em geral tratam a sustentabilidade como um problema dos outros e o assunto fica relegado a um departamento ou mesmo a um único indivíduo. Por outro lado, as empresas que tiveram sucesso na transformação de seu modelo de negócio para serem mais sustentáveis o fizeram incorporando a sustentabilidade ao DNA corporativo. Isso significa que seus membros adquiriram esse senso de propriedade, o que os estimula a se engajar em comportamentos mais favoráveis à sustentabilidade. Quando cada funcionário incorpora preocupações ambientais e sociais em todas as decisões de negócios, o avanço da sustentabilidade se acelera, o que é uma aspiração para todas as empresas.

Para poder visualizar em que ponto está a incorporação da sustentabilidade e identificar os principais gargalos, o Centro de Negócios Sustentáveis da University of Pittsburgh juntou-se à The Harris Poll para realizar uma pesquisa com funcionários de empresas localizadas nos Estados Unidos. Queríamos descobrir se os empregadores estavam tomando medidas que nossa pesquisa anterior havia identificado como importantes para incentivar os funcionários a conduzirem os negócios por meio de um olhar voltado à sustentabilidade. Foram entrevistadas 1.056 pessoas e, para alinhar a linguagem, definimos sustentabilidade como "integrar preocupações ambientais e sociais em decisões e ações de negócios".

Pedimos aos entrevistados que manifestassem seu grau de concordância com uma série de 19 afirmações sobre frases como "Minha empresa tem uma proposta clara para melhorar nosso desempenho em sustentabilidade", em uma escala de quatro pontos variando entre "concordo totalmente" e "discordo totalmente". Também apresentamos 12 questões que podem significar desafios para o progresso da sustentabilidade, como "A sustentabilidade não faz parte de nossa estratégia de negócios", e pedimos que pontuassem o quanto isso é uma realidade em sua empresa, indo de "grande desafio" a "nada desafiador".

A principal descoberta? Menos de um terço dos entrevistados afirmou que seus empregadores fizeram avanços significativos no caminho para a sustentabilidade. Ou seja, há dois terços estacionados. Olhando o copo meio cheio, podemos comemorar talvez a existência de um movimento inicial.

Vencer os obstáculos percebidos pelos funcionários, e mostrados na pesquisa, pode ajudar a melhorar esse quadro. Apresentamos a seguir seis recomendações que construímos a partir dos dados colhidos por nós e que são valiosas para gestores que têm o objetivo de incorporar a sustentabilidade na cultura organizacional e no modelo de negócio.

Estabeleça um propósito baseado em valores: o propósito é a razão de ser de um negócio - a resposta para a importante pergunta "Por que fazemos o que fazemos?" Paul Polman, ex-CEO da Unilever e líder no movimento de sustentabilidade corporativa, disse: "A sustentabilidade é totalmente guiada pelo propósito". As organizações que incorporam a sustentabilidade com sucesso a combinam com o benefício social que querem oferecer aos seus stakeholders, e esse propósito abrangente orienta tudo o que a organização faz.

Em nosso estudo, 36% dos entrevistados concordaram fortemente com a afirmação "Minha empresa quer fazer a diferença na vida das pessoas, não apenas obter lucros", enquanto 33% concordaram fortemente com "Minha empresa tem um propósito maior além da maximização do lucro". Contudo, se o propósito é o ponto de partida para a sustentabilidade, não estamos indo muito bem. Está claro que a opção pela maximização do lucro está viva e bem. Consistentemente, 43% dos funcionários pontuaram como desafios o foco no curto prazo, a falta de interesse dos investidores e, principalmente, "nossos líderes não acreditam na sustentabilidade". A menos que o topo das organizações perceba que o lucro é consequência da criação de valor para todos os stakeholders e não o ponto de partida para o desenvolvimento e a execução da estratégia, esse avanço não acontecerá.

Faça com que a sustentabilidade seja parte da estratégia corporativa: pesquisadores acadêmicos e outros observaram que é a estratégia da organização que gera o impulso na direção da sustentabilidade. Isso aumenta as chances de que, com o tempo, "ser verde" seja percebido como uma parte normal do trabalho, e cada vez mais decisões sejam tomadas com os olhos na sustentabilidade. Com apenas 29% dos entrevistados concordando fortemente com a afirmação "Minha empresa tem uma proposta clara para melhorar nosso desempenho em sustentabilidade" e 27% com "A sustentabilidade é essencial para a execução da estratégia de negócios da minha empresa", parece que temos um longo caminho a percorrer. Consistente com esses resultados, 43% concordaram que o fracasso de sua empresa em incorporar a sustentabilidade em sua estratégia de negócios representa um desafio.

Capacite os funcionários e incentive ações que promovam a sustentabilidade: as empresas bem-sucedidas em engajar sua força de trabalho nesse tema investiram em treinamento que orienta sobre como melhorar a sustentabilidade. Com apenas 30% dos funcionários entrevistados concordando fortemente com a afirmação "Eu entendo como posso melhorar o desempenho de sustentabilidade da minha empresa na minha função", parece faltar conhecimento específico de sua função pelo próprio indivíduo. A falta de treinamento foi citada como um desafio maior ou moderado por 44%, enquanto quase o mesmo número (45%) indicou que não sabe quais ações tomar para melhorar o desempenho em sustentabilidade. As empresas precisam investir mais em treinamento e geração de conhecimento em sustentabilidade para que os colaboradores saibam o que podem fazer em suas funções e como fazer o que precisa ser feito.

Os gestores também devem fazer mais para incentivar os funcionários para o avanço na agenda de sustentabilidade: 49% dos entrevistados disseram que a falta de tais incentivos é um obstáculo importante ou moderado para a melhora no desempenho em sustentabilidade. Os líderes também devem considerar se a cultura apoia o engajamento e a motivação intrínsecos dando aos funcionários autonomia para solucionar desafios de sustentabilidade, que por vezes exigem pensamento criativo. Porém, quando pedimos aos entrevistados que avaliassem sua concordância com as afirmações "Minha empresa permite que eu tome muitas decisões relacionadas à sustentabilidade por conta própria" e "Minha empresa dá a chance de usar minha iniciativa pessoal ou julgamento na realização de iniciativas de sustentabilidade", descobrimos que, no máximo, 29% dos entrevistados concordaram fortemente.

Crie uma cultura de sustentabilidade na organização: os gestores podem manter a sustentabilidade em destaque na cultura organizacional divulgando os avanços, celebrando marcos, reconhecendo conquistas e colaborando em soluções tanto internamente quanto com parceiros do setor. Nossa pesquisa identificou a falta de uma cultura de sustentabilidade como um dos maiores impedimentos para o progresso, com 48% dos entrevistados indicando que esse é um impedimento maior ou moderado em sua organização. Comunicar o progresso da sustentabilidade aos funcionários é um componente-chave para que ela faça parte da cultura, porque os temas são mantidos na ordem do dia. Celebrar os sucessos despertará o interesse dos funcionários e legitimará a importância da sustentabilidade para a organização – mas apenas 31% dos entrevistados concordaram fortemente que sua empresa festeja os sucessos da sustentabilidade.

Colaborar com concorrentes tradicionais vem se tornando cada vez mais necessário, como um valioso recurso para a resolução de problemas que são compartilhados. Ainda mais porque sinaliza aos funcionários que a empresa leva a sério a transformação e reforça a cultura que se deseja construir. Com apenas 25% dos entrevistados concordando fortemente com a afirmação "Minha empresa colabora com outras organizações para abordar questões complexas de sustentabilidade", é evidente que muito trabalho é necessário para abrir os olhos dos líderes corporativos para o potencial de progresso por meio da colaboração.

Conduza os negócios com o olhar da sustentabilidade: imagine o progresso que seria conquistado se todos os funcionários de todas as empresas, não importando a área ou posição hierárquica, trouxessem as questões ambientais e sociais para fazerem parte de todas as decisões que tomassem. Isso, para nós, é integrar a sustentabilidade à condução do negócio. Um objetivo aspiracional, mas que precisa ser alcançado se quisermos superar nossas crises existenciais. Como outras pesquisas mostraram, os funcionários que se apropriam individualmente da sustentabilidade são um fator fundamental para a disseminação desses comportamentos. Em nossa pesquisa, 28% dos entrevistados concordaram fortemente com a afirmação "Os funcionários da minha empresa se apropriam de melhorar o desempenho de sustentabilidade", enquanto 45% identificaram uma crença entre os funcionários de que "a sustentabilidade é responsabilidade de outra pessoa" como um desafio. Essa falta de vínculo com os resultados de sustentabilidade se reflete em nossos resultados de pesquisa: apenas 27% dos entrevistados concordaram fortemente que "investiram ideias e criatividade" para ajudar sua empresa a ser mais sustentável, e apenas 24% concordaram fortemente que todas as suas decisões de negócios são tomadas pelas lentes da sustentabilidade.

Cubra todo o pessoal: notamos uma diferença significativa entre a forma como os funcionários corporativos e da linha de frente responderam às nossas perguntas. Os gestores que trabalham em funções corporativas eram, em média, cerca de 15% mais propensos a ver a sustentabilidade como incorporada, se comparados com o pessoal em funções como suporte ao cliente.

Para garantir que o compromisso com a sustentabilidade seja real e traga benefícios tangíveis para suas organizações, os líderes devem preencher a lacuna existente entre os funcionários corporativos e da linha de frente. Mensagens amplamente comunicadas sobre o propósito corporativo e as metas ambientais, sociais e de governança podem não ser suficientes neste caso. Existe uma necessidade real de estimular a sustentabilidade por meio de iniciativas e ações concretas que possam fazer parte das atividades e rotinas executadas diariamente em toda a organização.

Curiosamente, notando que a sustentabilidade começa a estar mais inserida na organização também faz com que os funcionários abram os olhos para os obstáculos e desafios que impedem o progresso. Nossos dados mostram que os funcionários que estão mais engajados e percebem que a sustentabilidade está mais incorporada também estão mais atentos aos obstáculos, em média, do que aqueles menos engajados.

O que queremos dizer aqui é que, à medida que as empresas preenchem essa lacuna na incorporação da sustentabilidade, elas devem estar preparadas para responder a mais perguntas e ouvir mais opiniões à medida que o engajamento dos funcionários no assunto aumenta. As empresas devem usar coaching individual, manuais de ação e comunicação personalizada para tornar a sustentabilidade o trabalho de todos. As empresas precisam estar preparadas para investir mais recursos na incorporação da sustentabilidade – e fazer com que toda a organização conduza os negócios pela lente da sustentabilidade.

Compartilhar:

Autoria

CB Bhattacharya e Rob Jekielek

CB Bhattacharya é diretor do Center for Sustainable Business e professor em sustentabilidade e ética na Katz Graduate School of Business da University of Pittsburgh. Rob Jekielek é diretor presidente da The Harris Poll.

Artigos relacionados

Imagem de capa Quatro maneiras de delegar sem perder a efetividade

Xtended

08 Março | 2024

Quatro maneiras de delegar sem perder a efetividade

Confiar nas pessoas não é suficiente para que a delegação funcione. Líderes também precisam analisar criticamente seu nível de confiança nos processos. Confira quatro formas de delegar e saiba como aplicar

Beth K. Humberd e Scott F. Latham

11 min de leitura

Imagem de capa Começa a era dos relatórios de sustentabilidade mais rigorosos e transparentes

ESG

01 Março | 2024

Começa a era dos relatórios de sustentabilidade mais rigorosos e transparentes

Novas diretrizes para as prestações de contas obrigatórias demandarão das organizações competências e habilidades que apresentem para investidores e outros stakeholders uma visão mais clara sobre o futuro do negócio. Confira orientações

Richard Barker

13 min de leitura

Imagem de capa Cinco tendências em IA e ciência de dados para 2024

Xtended

23 Fevereiro | 2024

Cinco tendências em IA e ciência de dados para 2024

Pesquisas sugerem que, embora a empolgação com a IA generativa seja muito alta, o valor ainda não foi entregue em grande parte

Thomas C. Redman e Thomas H. Davenport

8 min de leitura

Imagem de capa O CEO também precisa de feedback. Mas do jeito certo

Xtended

16 Fevereiro | 2024

O CEO também precisa de feedback. Mas do jeito certo

O ritual anual de feedback do CEO é geralmente uma perda de tempo, mas três ações corretivas podem mudar isso.

Anand Joshi

13 min de leitura

Imagem de capa Como o boom da transparência afeta a liderança

Xtended

02 Fevereiro | 2024

Como o boom da transparência afeta a liderança

Liderar em um mundo hipertransparente, onde a informação circula ainda mais rápido que a capacidade de gestão, exige abordagem adaptativa e estratégias que equilibram comunicação externa e interna e honestidade organizacional

Melissa Swift

9 min de leitura

Imagem de capa IA em Marte: entrevista com Vandi Verma, da Nasa

Xtended

26 Janeiro | 2024

IA em Marte: entrevista com Vandi Verma, da Nasa

A maioria das organizações não está executando missões espaciais, mas o uso de IA e robótica pela Nasa oferece lições relevantes para suas aplicações mais terrenas.

Me, Myself and AI

18 min de leitura