fb

Artigo Xtended

4 min de leitura

Conhece as comunidades transformacionais por design?

Esse tipo de organização da economia cívica pode ativar a agenda coletiva para o bem, inclusive gerando capacidades dinâmicas e implantando sistemas de governança eficazes. Já há exemplos no Brasil

André Ribeiro Coutinho

03 de Maio

Compartilhar:
Artigo Conhece as comunidades transformacionais por design?

Primeiro veio o smartphone, depois a computação em nuvem, as plataformas digitais e as redes sociais. Uma soma que nos fez experimentar um fluxo de interações sem precedentes na história da humanidade e que deu origem à "economia digital".

A reboque, vieram outras tecnologias que passaram a redefinir o próprio sistema. Ainda em seus estágios iniciais, a web 3.0 — que inclui blockchain, inteligência artificial (IA) generativa, internet das coisas (IoT) e realidade mista — pode ajudar a remodelar a maioria das instituições que moldaram nossa sociedade nos últimos 150 anos, como os sistemas monetário e eleitoral, além das infraestruturas físicas e cívicas.

Toda essa evolução trouxe uma sobreposição de choques econômicos, sociais, ambientais, sanitários e humanitários. Um estado crítico global e uma série de ameaças se entrelaçam numa multiplicidade de crises — a chamada "policrise".

Comunidades feitas para transformar

Para conseguir lidar com essas crises múltiplas e urgentes e enfrentar os desafios que elas impõem, indivíduos mobilizados pelo senso de propósito e por sua capacidade digital ampliada emergem como peças-chave para criar o que chamamos de ‘comunidades transformacionais”.

São que grupos de pessoas movidas pelo desejo de criar e promover mudanças inclusivas, bem como de provocar transformações positivas e sustentáveis na sociedade.

Buscam "turbinar" fluxos de engajamento e ativar ecossistemas para desafiar os modelos existentes e liderar impactos sociais, econômicos, culturais, regulatórios ou ambientais por meio da colaboração.

Captura de tela 2024-05-05 235406

Conectando os nós

No centro das comunidades transformacionais estão os “fluxos interacionais de engajamento”, como sugerido por Venkat Ramaswamy, professor da Ross School of Business, ligada à University of Michigan, nos EUA. Em vez de se concentrar apenas nas atividades das “cadeias de valor” das instituições que operam ou nos “consumos de bens e serviços”, os membros da comunidade abraçam “a jornada de engajamentos de todos os indivíduos interessados como experimentadores e a realidade estendida de experiências que emergem das suas interações, desde a realidade pura à realidade mista e à virtualidade pura”.

O valor é então estendido de uma perspectiva pessoal para um maior bem-estar social, cultural, ecológico e econômico. As comunidades de aprendizagem rompem com as configurações convencionais professor-aluno, a educação andragógica assimétrica (alunos como tábulas rasas) e a universidade corporativa (que replica o modelo de universidade ultrapassado).

Há evidências crescentes que mostram como abordagens abertas, solidárias e baseadas em relacionamentos profundamente integrados com as comunidades fazem mudanças duradouras. Um exemplo é a EO (Entrepreneur’s Organization), uma comunidade feita para e por 19 mil empreendedores em 83 países, construída para ajudar líderes a irem mais longe. O fórum EO é um sistema de apoio para o sucesso. Cada indivíduo apresenta seus desafios de vida mais relevantes (os 5%) e outros membros compartilham suas próprias experiências de vida sobre como abordaram um problema semelhante.

Outro exemplo é a comunidade de aprendizagem “Decodificando o digital”, que foi projetada pela GoFW para alfabetização digital dos funcionários da CBA no Brasil. Neste caso, a cocriação de valor, a web 3.0 e as missões (inovação orientada para a missão) são a pedra angular da nossa abordagem às comunidades transformacionais.

Nela, os colaboradores aprendem genuinamente uns com os outros, experimentam tecnologias emergentes, compartilham experiências vividas, geram impacto nos negócios e prosperam sem medo de sua transformação pessoal.

A comunidade permitiu ter uma melhor noção da lacuna de competências digitais na empresa que atualmente está lançando uma segunda comunidade para aprofundar os estudos em inteligência artificial, automação de dados e suas aplicações comerciais. A comunidade, inclusive, foi premiada como exemplo de agilidade e com resultados consistentes para a CBA que figurou no Top 6 como empresa mais ágil do Brasil pela Agile Trends.

Cocriação impactante

Captura de tela 2024-05-06 000834 As comunidades transformadoras podem realmente acender o poder da cocriação por meio de plataformas de engajamento onde os indivíduos são incentivados e estimulados a moldar o futuro de forma colaborativa. Embora a cocriação tenha sido associada à web 2.0 e às redes sociais, a cocriação impactante só pode acontecer quando um grupo de indivíduos intencionalmente impulsiona uma mudança positiva do status quo.

Num oceano digital de desinformação, as comunidades se tornaram ilhas de confiança e florescimento, onde os indivíduos podem encapsular suas vidas em espaços seguros para experiências, mas especialmente encontrando ambientes com propósito para colaborar e prosperar em vários domínios, como saúde, educação, justiça social ou empreendedorismo de impacto.

Comunidades transformacionais por design podem ativar a agenda coletiva para o bem, amplificar experiências culturalmente enraizadas, gerar capacidades dinâmicas e implantar sistemas de governança eficazes. Alguns pensadores e estudiosos têm usado a palavra economia cívica ou economia social para descrever esse movimento.

Uma das maiores promessas das comunidades transformadoras é o (re)design institucional. Os grupos impulsionam a missão em um ambiente multidisciplinar e propício para codificar princípios, políticas e regulamentos de processos de tomada de decisão.

Compartilhar:

Autoria

André Ribeiro Coutinho

André Ribeiro Coutinho é cofundador da GoFw* e sócio da Symnetics, presidente da Impact/GSEA do capítulo EO London, empreendedor de impacto, agente de inovação de sistemas, escritor, educador e mentor.

* A GoFw é um laboratório de impacto que gera desenvolvimento experimental com sistemas sociais e tecnologias emergentes para um legado positivo. É reconhecida como uma Empresa de Interesse Comunitário no Reino Unido, onde opera ativamente com engajamento comunitário, orquestração de ecossistemas e formação de novas realidades. Sua atuação estende-se também a países como Brasil, Chile e Colômbia. Em 2024, a comunidade aberta GoFw #ReCodeCultures facilitará o co-hort global V20 (parte do G20) e está comprometida em recodificar a ética tecno/IA.

Artigos relacionados

Imagem de capa Deixe os funcionários definirem seu trabalho – o resultado pode surpreender

Artigo Xtended

14 Junho | 2024

Deixe os funcionários definirem seu trabalho – o resultado pode surpreender

Quando as pessoas têm liberdade para ajustar suas funções de acordo com seu talento, desbloqueiam a produtividade e a inovação

Benjamin Laker e Stefania Mariano

7 min de leitura

Imagem de capa Dominando a venda baseada em valor

Artigo Xtended

07 Junho | 2024

Dominando a venda baseada em valor

Siga um processo de cinco etapas para vender produtos inovadores e não perder margem diante de compradores cada vez mais ferozes

Marco Bertini, Oded Koenigsberg e Todd Snelgrove

25 min de leitura

Imagem de capa Lojas físicas brilham mais quando oferecem o que é impossível comprar online

Marketing e vendas

31 Maio | 2024

Lojas físicas brilham mais quando oferecem o que é impossível comprar online

De tempestades de neve virtuais a armários dourados, as lojas físicas que realmente se destacam focam em experiências inviáveis de se replicar na internet. Conheça cinco táticas que mostram que, sim, há futuro no offline. Basta saber se adaptar – e se destacar

Rob Angell

10 min de leitura

Imagem de capa As oito perguntas-chave dos CEOs na hora de contratar

Artigo Xtended

26 Maio | 2024

As oito perguntas-chave dos CEOs na hora de contratar

Um líder efetivo vai além das perguntas padrão feitas pelos recrutadores e arruma novas maneiras de obter respostas que exijam mais dos candidatos

Adam Bryant

9 min de leitura

Imagem de capa MIT: tudo sobre o Instituto de Tecnologia de Massachusetts

Estratégia e Inovação

20 Maio | 2024

MIT: tudo sobre o Instituto de Tecnologia de Massachusetts

Descubra os cursos, a história e a importância global da instituição. Veja como entrar e saiba mais sobre sua presença no Brasil neste guia definitivo para entender o MIT e sua influência nos negócios

Redação MIT Sloan Management Review Brasil

9 min de leitura

Imagem de capa Pare de cortar as asas dos seus melhores funcionários

Artigo Xtended

17 Maio | 2024

Pare de cortar as asas dos seus melhores funcionários

Bloquear o avanço profissional dos subordinados e impedi-los de galgar novas oportunidades na organização só trazem prejuízos – para eles, para o negócio e para o próprio gestor. Uma nova pesquisa mostra que chefes “represadores de talentos” acabam minando suas carreiras. Saiba como evitar tal comportamento

JR Keller e Kathryn Dlugos

12 min de leitura