fb

Let’s ROC: uma experiência laboratorial com uma métrica tangível para avaliação do retorno sobre a cultura

“[...] a performance culture asks, “how much energy can we mobilize?” and the answer is only a finite amount. A growth culture asks, “how much energy can we liberate?” and the answer is infinite. [...]. (Schwartz, 2019, p.5).

Grupo Fleury e Insper: Flavia Helena da Silva, Leticia Martins Sanches, Felipe Corumba de Almeida, Maurício Guerino Minatel, Patricia Isquierdo Moreno Vargas, Marcelo Hiroshi Nakagawa, Gustavo Stuani Guimarães e Edgar Gil Rizzati

18 de Setembro

Compartilhar:
Artigo Let’s ROC: uma experiência laboratorial com uma métrica tangível para avaliação do retorno sobre a cultura
“[...] a performance culture asks, “how much energy can we mobilize?” and the answer is only a finite amount. A growth culture asks, “how much energy can we liberate?” and the answer is infinite. [...]. (Schwartz, 2019, p.5). ...

Você precisa estar logado em sua conta para acessar esse conteúdo

Gostaria de acessar esse conteúdo?

Artigos relacionados

Imagem de capa Como processos ultrapassados viraram economia de US$ 230 milhões na AT&T

Artigo Xtended

19 Abril | 2024

Como processos ultrapassados viraram economia de US$ 230 milhões na AT&T

Por meio de um projeto colaborativo, movido por funcionários, a organização eliminou ineficiências, impulsionou a inovação e passou a promover a cultura de melhoria contínua

Jeremy Legg

8 min de leitura

Imagem de capa Bear market ou bull market? Aposte na inovação

Estratégia e inovação

17 Abril | 2024

Bear market ou bull market? Aposte na inovação

Inovação ou obsolescência: por que não existe tempo ruim para inovar

Marcone Siqueira

5 min de leitura

Imagem de capa O futuro da atuação jurídica: uma jornada de inovação e adaptabilidade

Tendências

15 Abril | 2024

O futuro da atuação jurídica: uma jornada de inovação e adaptabilidade

Empresas atualmente gastam mais de R$ 20 bilhões por ano em demandas jurídicas. A tendência é que esse valor seja cada vez mais alocado em demandas estratégicas e consultivas, em detrimento de defesas em passivos judiciais. Estão os advogados se preparando para atuar como conselheiros, dotados de uma visão holística dos clientes?

Katsuren Machado

3 min de leitura